cifrôes na forma de planta

Enfrentaremos muitos desafios nas próximas décadas: perda de biodiversidade, crescente desigualdade social, mudança climática, etc. As crises globais sistêmicas não podem ser enfrentadas isoladamente, porque estão todas interconectadas. Mas nossos sistemas econômicos não são adequados para proporcionar um bom equilíbrio de objetivos ambientais e sociais. Em sua forma atual, nossas economias incentivam o consumo excessivo, degradam os laços comunitários e destroem a riqueza natural. Mas isso não é inevitável ou inevitável; é simplesmente como nossas economias evoluíram para operar. Para resolver esses problemas, é necessária uma nova visão econômica.

A economia verde é o conjunto de atividades produtivas destinadas a reduzir o impacto ambiental através de novas fontes de energia, inovações tecnológicas e redução de resíduos. Ela é inspirada na sustentabilidade ecológica e cria  oportunidades de emprego. Além disso, a economia verde não se preocupa apenas com a produção, mas também com o impacto que terá sobre o meio ambiente. Graças a intervenções privadas e financiamento público, é possível reduzir a poluição, preservar o ecossistema e a biodiversidade.

Um futuro econômico mais justo

potes ilustrando economia sustentável

A economia verde quer proporcionar a prosperidade para todos dentro dos limites ecológicos do planeta. Ter um crescimento verde significa promover o crescimento econômico e o desenvolvimento sem deixar de garantir os que os ativos naturais   continuem a fornecer os recursos e serviços ambientais em que nosso bem-estar depende. Para isso, precisamos incentivar o investimento e a inovação, que sustentarão o crescimento e darão origem a novas oportunidades econômicas.

O crescimento verde não substitui o desenvolvimento sustentável

pessoas segurando uma árvore recentemente plantada

O foco das estratégias de crescimento verde é garantir que os ativos naturais possam oferecer todo o seu potencial econômico de forma sustentável. Esse potencial inclui a prestação de serviços essenciais de suporte à vida – ar e água limpos e a biodiversidade resiliente necessária para apoiar a produção de alimentos e a saúde humana. Os ativos naturais não são infinitamente substituíveis e as políticas de crescimento verde levam isso em consideração.

Os 5 princípios da economia verde

1. O princípio do bem-estar

Uma economia verde permite que as pessoas criem e desfrutem de prosperidade. Ela é centrada nas pessoas. Seu objetivo é criar prosperidade genuína e compartilhada.

2. O princípio da justiça

A economia verde promove a equidade dentro e entre gerações. Ela compartilha a tomada de decisões, benefícios e custos de maneira justa; evita captura de elite; e apoia especialmente o empoderamento das mulheres.

3. O princípio dos limites planetários

A economia verde protege, restaura e investe na natureza. Uma economia verde inclusiva reconhece e nutre os diversos valores da natureza, reconhece a substituibilidade limitada do capital natural e investe na proteção, crescimento e recuperação da biodiversidade, solo, água, ar e sistemas naturais.

4. Princípio da eficiência e suficiência

A economia verde é voltada para apoiar o consumo sustentável e a produção sustentável. Uma economia verde inclusiva é de baixo carbono, conservadora de recursos, diversa e circular. 

5. Princípio da boa governança

A economia verde é guiada por instituições integradas, responsáveis ​​e resilientes. 

O modelo da economia verde

A economia verde representa um modelo teórico de desenvolvimento econômico que considera o impacto das ações humanas. Os investimentos privados, com os gastos públicos, possibilitam as reformas políticas e as mudanças que preservam a natureza.

O melhor gerenciamento dos recursos naturais, a otimização da produção e o aumento do PIB ajudariam o planeta a sustentar o impacto do homem e isso certamente levaria ao desenvolvimento econômico. O consumo excessivo de matérias-primas causa aumento de preço e danifica o sistema, enquanto a economia verde cria  empregos e melhora o mercado de trabalho em áreas como agricultura, energia renovável, bio-arquitetura e reciclagem.

Os objetivos

painéis solares em telhado

As atividades produtivas não derivam apenas de fontes renováveis ​​de energia ou reciclagem de resíduos, mas incluem toda a conversão sustentável dos setores tradicionais, portanto:

  • Indústrias, edifícios e escritórios, reformados com economia de energia, aquecimento, dispersão de calor, etc.
  • Setores econômicos que desejam reduzir o impacto ambiental na extração, transporte, tratamento e processamento de matérias-primas;
  • Inovação tecnológica para a redução de resíduos nos processos produtivos, principalmente em relação às embalagens;
  • Inovações produtivas para reduzir as emissões de CO₂ e outros poluentes.

Portanto, a inovação pode contribuir ativamente para reduzir o desperdício e o impacto ambiental, além de melhorar a economia verde. Os dados do Eurostat mostram que na Europa a riqueza produzida pela economia verde aumentou de 135 para 289 bilhões de euros nos últimos 15 anos e também o volume de negócios cresceu exponencialmente, chegando a 700 bilhões de euros. Além disso, o emprego sustentável tem um crescimento exponencial, com um aumento de 49% para os empregos verdes e apenas 6% para as ocupações tradicionais. Espera-se que em 2025 sejam feitos cerca de 190 bilhões em investimentos, com aumento de 682 bilhões em produção e cerca de 800 000 novos empregos, com foco na sustentabilidade, melhoria da eficiência energética e redução do consumo de energia.

Prós e contras da economia verde

A economia verde exige uma profunda transformação da sociedade. É necessária, uma responsabilidade social corporativa que envolve o uso de ferramentas e tecnologias com baixo impacto ambiental. Aqui estão os limites da economia verde:

  • Os custos são mais altos que as tecnologias tradicionais, por ainda ser uma indústria em crescimento;
  • Menos desempenho do que as tecnologias tradicionais, o que melhora com o tempo.

As vantagens da economia verde são, portanto, naturais, mas também econômicas e sociais:

  • Produção alternativa de energia renovável com menos impacto no meio ambiente, como tecnologias verdes (eólica, solar, biomassa, etc.);
  • Maior eficiência e menos desperdício, usando produtos e serviços que precisam de menos energia;
  • Menos impacto no meio ambiente, reduzindo o efeito estufa e o aquecimento global;
  • Criação de novos empregos, com novas indústrias e mercados.

A importância do gerenciamento dos resíduos

plásticos para reciclagem

A reciclagem é uma das principais formas de incentivar o uso racional dos matéria-prima e ajudar a reduzir o desperdício e o uso dos recursos naturais do planeta. A logística reversa de material plástico, por exemplo, é faz parte do modelo de economia verde que garante o descarte correto e a reciclagem destes materiais. Utilizar a logística reversa poupa o meio ambiente

A reciclagem na economia verde

pessoa com camisa de reciclagem segurando garrafa pet
A woman picking up garbage plastic bottles into a box and bag for recycling concept

Reutilizar os resíduos como matéria-prima tem sido umas das principais formas economicamente viáveis e  sustentáveis para algumas empresas. Muitos negócios hoje já tem como principal fonte de matéria-prima o resíduo industrial que outras empresas produzem.  Esse mercado é uma oportunidade de lucro. Os benefícios da reciclagem são muitos.  Redução do acumulo de resíduos, economia de recursos para a produção de novos materiais, redução de emissão de gases como metano e gás carbônico, menor consumo de energia, etc.  A reciclagem também gera renda para quem trabalha com ela e melhora na qualidade de vida das pessoas em geral, já que ajuda na preservação do ambiente. 

Conclusão

A economia verde é uma mudança universal e transformadora para o status quo global. Isso exigirá uma mudança fundamental nas prioridades do governo. Realizar essa mudança não é fácil, mas é necessário se queremos alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável.

Uma Economia Verde é uma economia limpa e ecológica que promove a saúde, a riqueza e o bem-estar. Ela depende do desenvolvimento sustentável – o que significa crescer nossas economias de maneira a beneficiar, e não sacrificar, a justiça social e a equidade, bem como o meio ambiente. A ideia é atender às necessidades do presente sem ameaçar a qualidade de vida das gerações futuras.

Construir uma economia verde não significa jogar fora o sistema antigo e começar do zero, e sim fazer escolhas de acordo com o custo total – não apenas o custo financeiro – de toda e qualquer atividade.

O que isso significa para os cidadãos?

Como consumidor, você tem algo chamado “poder de compra”. Isso significa que quando você compra,  mostra para o mercado mundial o que você prefere. Quando você escolhe um produto sustentável – como produtos reciclados ou extraídos de maneira sustentável -, envia a mensagem aos produtores de que eles precisarão fazer a transição para práticas sustentáveis ​​para conquistar você como um cliente em potencial. Quando você incentiva seus amigos, familiares e uma comunidade maior a apoiar produtos sustentáveis, causa um impacto ainda maior!